“ADN”, mais que uma comédia de costumes, pretende ser um contributo para elevar à categoria de arte o que é afinal a nossa imagem de marca, o nosso ADN (Arte do Desenrasque Nacional).

Com base em factos verídicos ocorridos em Portugal, a acção desenrola-se entre um qualquer centro de arte contemporânea e um modesto bairro social.

Com um marido desempregado (por convicção) e um filho desocupado (por filosofia de vida), Joana Bonito, vive as 24h do seu dia numa correria constante entre e um emprego

precário de mulher de limpeza num pretensioso centro de arte contemporânea e uma família disfuncional.

O frágil equilíbrio entre o curto ordenado e um longo mês de 30 dias, quebra-se no dia em que a obra de um conceituado artista plástico, um lavatório partido, é vandalizada.

Aberto rigoroso inquérito, Joana é acusada de ter varrido os cacos e é obrigada a frequentar um curso pós-laboral de sensibilização à arte contemporânea.

Mas onde se adivinhava o desastre, a habitual arte do desenrasque e chiico-espertismo nacional transformam o drama num êxito mundial.


Um espectáculo de Óscar Branco                                                      


Elenco: Óscar Branco. Rui Oliveira, Maria Alves e Paulo Freitas